PRÉMIOS EDIÇÃO 2015 DIABETES

Com a sua ajuda vamos financiar a investigação em Diabetes.

VALOR 60.000€

PREMIADOS

Ana Domingos

Instituto Gulbenkian de Ciência

Identificação de alvos terapêuticos em neurónios que controlam a obesidade

O laboratório da Dra. Ana Domingos descobriu que existem neurónios no tecido adiposo que controlam quanta gordura é metabolizada (“queimada”). O seu projeto visa encontrar alvos moleculares nestes neurónios que ofereçam uma base terapêutica, isto é, possíveis fármacos. Neste sentido, usará técnicas moleculares em ratinhos, cuja informação será confirmada em tecidos humanos.
Com o trabalho de investigação desenvolvido pelo laboratório de Ana Domingos, é possível ter esperança num fármaco que sirva de tratamento à obesidade, cuja consequência direta é a Diabetes e problemas cardiovasculares. O tratamento da causa da obesidade irá ter uma consequência direta na redução da Diabetes tipo2, o tipo mais comum ao nível mundial.

Leonor Faleiro

Centro de Investigação em Biomedicina, Universidade do Algarve

O impacto da bactéria Bacteroides dorei na diabetes

A incidência da diabetes tipo 1 tem aumentado a taxas que dificilmente são explicadas apenas por um aumento na suscetibilidade genética. Outros factores podem contribuir para este aumento, em particular factores ambientais e mudanças no estilo de vida. Um conjunto significativo de evidências sugere que a microbiota intestinal está implicada no desenvolvimento da doença. Sabemos que a comunidade microbiana das crianças diabéticas Finlandesas é dominada pela bactéria Bacteroides dorei e o nosso estudo preliminar sobre a abundância de proteínas de origem bacteriana em crianças diabéticas da região do Algarve indicou-nos que o seu sistema gastrointestinal era rico em proteínas de bactérias do género Bacteroides, em particular Bacteroides dorei. O que o nosso estudo pretende é isolar a bactéria Bacteroides dorei de crianças diabéticas e compararmos as características destes isolados com os de crianças sem a doença, bem como avaliarmos a sua interação com as células do epitélio intestinal.
A investigação dos grupos microbianos associados à diabetes irá contribuir para descobrirmos o seu papel na doença e podermos explorar estratégias para melhorarmos a composição da microbiota intestinal impedindo o desenvolvimento da diabetes.

Íris Caramalho

Instituto Gulbenkian de Ciência – Prémio Maratona da Saúde/Roche

Base genética da precocidade da Diabetes tipo 1 infantil

A diabetes tipo 1 é uma doença incurável em que o sistema imunitário destrói as células que produzem insulina. A doença surge principalmente em crianças e jovens e obriga à dependência de terapêutica com insulina para toda a vida. Nos últimos anos tem-se verificado um aumento da diabetes tipo 1 em todas as faixas etárias, sobretudo em crianças em idade pré-escolar. Neste grupo etário, a doença é particularmente agressiva e inicia-se abruptamente.
Este projeto reúne uma equipa de clínicos, geneticistas, imunologistas e bioinformáticos, do Hospital D. Estefânia e do Instituto Gulbenkian de Ciência, que utilizará uma abordagem multidisciplinar para identificar genes do sistema imunitário responsáveis pelo aparecimento precoce da diabetes tipo 1.
Com este trabalho pretende-se gerar biomarcadores preditivos de risco de desenvolvimento da diabetes tipo 1, o que permitirá melhorar a sua precisão diagnóstica e desenvolver estratégias de intervenção terapêutica precoces.

Acreditamos que o nosso trabalho permitirá melhorar a precisão diagnóstica da Diabetes Tipo 1 infantil e contribuir para novas estratégias de intervenção terapêutica precoce, com benefício para os doentes.

Para saber mais sobre este concurso consulte o link:

http://www.fct.pt/apoios/premios/maratonadasaude/index.phtml.pt

JÚRI DO CONCURSO

Alisson Bayer Diabetes research Institute, EUA
Stephan Kissler Joslin Diabetes Center, EUA
Ann Christine Syvänen Department of Medical Sciences, Uppsala University, Suécia
Anna Novials August Pi i Sunyer Biomedical Research Institute (IDIBAPS), Barcelona
Pirjo Nuutila University of Turku, Finlandia
Fabienne Faufelle Centre de Rechercher de Cordeliers, França
Karine Hellemans Diabetes Centre, Free University of Brussels, Bélgica
Paul Pfluger Helmholtz Zentrum München, Alemanha
Romano Regazzi University of Lausanne, Suiça
Karin Dahlman-Wright Karolinska Institute, Suécia
Allan Vaag Diabetes and Metabolism,Rigshospitalet, Copenhagen, Dinamarca
Mary R. Loeken Joslin Diabetes Center and Department of Medicine, Harvard Medical School, EUA
Romeo Ricci Institut de Génétique et de Biologie Moléculaire et Cellulaire (IGBMC), University of Strasbourg, França
Suzanne van Asten University of Texas Southwestern Medical Center, EUA
Mikael Ryden Karolinska Institutet, Suécia
Eric Triplett University of Florida, EUA
Kim Donaghue Children’s Hospital, University of Sydney, Austrália
Nabil Djouder Centro Nacional de Investigaciones Oncológicas (CNIO ), Madrid, Espanha
Benjamin Bikman Brigham Young University, EUA
Steve Abcouwer Kellogg Eye Center, University of Michigan, EUA
David Armstrong University of Arizona, EUA
Catherine Godson Diabetes Research Centre – University College, Dublin, Irlanda
Patrice Fort Kellogg Eye Center, University of Michigan, EUA
Richard Cubbon Leeds University, Reino Unido
Kevin Cassar University of Malta, Malta
Jean Philippe Lavigne Centre Hospitalier Régional Universitaire de Nîmes, França
Abhijit De SBSPG, Uttarakhand, India
Martha Funnell University of Michigan, EUA
Michael Abràmoff University of Iowa, Carver College of Medicine, EUA
Christophe Magnan CNRS, Paris, Françae
Adam Rose German Cancer Research Center, Heidelberg, Baden-Württemberg, Alemanha
Jeffrey S. Gonzalez Albert Einstein College of Medicine, EUA
Velandai Srikanth Monash University, Austrália
Herbert Tilg Innsbruck, University of Medicine, Áustria
Jorge Chavarro School of Public Health, Harvard, EUA
Per-Henrik Groop University of Helsinki, Finlândia